Fid 2012: seguindo em frente contra a corrente


Apresentado pelo Governo do Estado de Minas Gerais e Petrobras, com o patrocínio da Oi e apoio cultural da Funarte, Prefeitura de Nova Lima, TV Globo Minas, Caixa Econômica Federal, Cemig/Governo do Estado de Minas Gerais e Oi Futuro, o FID 2012 é realizado pela Atômica Artes e Tapioca Cultura, por meio da Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais.
De 26 de outubro até 4 de novembro, acontece, em Belo Horizonte e Nova Lima, o FID Fórum  Internacional de Dança. Na programação, 13 espetáculos, 29 apresentações, de 12 companhias diferentes do Brasil, Bélgica, Áustria e França: Emmanuelle Huynh / Centre National de Danse Contemporaine – Angers (França), Lia Rodrigues Cia de Danças (RJ), Meg Stuart / Damaged Goods (Bélgica), Philipp Gehmacher e Vladimir Miller, Meg Stuart / Damaged Goods (Bélgica) & Mumbling Fish (Áustria), Cristian Duarte (SP) e Entretantas Conexão em Dança (PR). O FIDinho, que é o programa especialmente voltado para o público infantil, o FID traz Neto Machado (PR/BA) e Maria Clara Villa Lobos / XL Productions (Bélgica/Brasil). Para o FID Território Minas, programa criado em 1998 para apoiar, fomentar e difundir a produção mineira, apresentará a Companhia Suspensa (BH/Nova Lima), Quik Cia de Dança (Nova Lima), Cris Oliveira (BH) e Izabel Stewart e Tana Guimarães (BH). Os ingressos do FID 2012 são novamente vendidos a preços subsidiados, R$ 4,00 (quatro reais) inteira e R$ 2,00 (dois reais) a meia entrada.
Já o programa FID Circulando Grande BH, que desde 2005 visa à inclusão, descentralização e democratização da produção de dança em locais sem equipamentos de cultura, contará este ano com o apoio do Sesc-MG e apresentará a Cia Terceira Dança (BH) e a Quik Cia de Dança (Nova Lima), ambas participantes do FID Território Minas em outras edições. Neste ano, o FID Circulando Grande BH será realizado entre os dias 5 e 14 de novembro, no Sesc Contagem/Betim e Sesc Venda Nova, em Belo Horizonte; e no CAC Centro de Atividades Culturais Cabeceiras e Clube Recreativo Aurilândia, em Nova Lima.
Seguindo em frente contra a corrente é a proposição do FID 2012. Segundo a diretora artística do Fórum, Adriana Banana, esta é uma reafirmação do evento e da determinação de seus produtores. O FID compartilha com Lia Rodrigues a metáfora da Piracema, título da obra que a artista apresenta nessa edição de 2012. Mesmo em condições desfavoráveis da contra correnteza, alguns peixes, no período de sua fecundação, nadam rio acima em prol da sua continuidade. É do esforço em nadar contra a corrente que o corpo dos peixes se nutre, desenvolvendo-se sexualmente e tornando-os aptos para a reprodução. Muitos nadam até 600 km para chegar em um ambiente favorável para a desova e o transforma no nascedouro-berçário das novas gerações. Essa descrição se aplica ao FID, desde seu nascimento, em 1996. São 16 anos nadando contra a correnteza e, a cada um desses anos, descobrindo como ser um nascedouro-berçário, explica Banana que complementa: nessa correnteza estava o entendimento de que os intercâmbios internacionais e o financiamento à cultura continuariam sempre a se concentrar somente no circuito SP/RJ. Estava também a aceitação de que a dança acontecia apenas com certos tipos de dança e de corpos. O Grupo Terceira Dança, por exemplo, está aí como afirmação de outro caminho possível. Enfim, as nossas piracemas também são permanentes, conclui Adriana Banana.
Adriana reforça, ainda, que ir contra corrente é o que o FID vem fazendo ao longo de sua trajetória. Investimos na produção artística local praticando uma epistemologia SULREAL contra os reacionarismos estéticos, valorizando a produção interna e horizontalizando o diálogo com as pessoas que fazem e as que assistem. Nunca subestimamos o público e sempre oferecemos programações ousadas e inaugurais. O FID Fórum Internacional de Dança teve e tem a coragem de investir em propostas inovadoras, como os programas FID Circulando Grande BH, FIDinho, FID Território Minas e FID Editorial. Enfrentamos a endêmica falta de verba. Toda edição é como um começar do zero espelhando sempre que as condições de produção podem mexer no seu tamanho, mas não no seu compromisso com a qualidade da informação que oferece, afirma.
Carla Lobo, diretora executiva, complementa questionando a dificuldade de se fazer arte no Brasil, apesar da constituição federal brasileira garantir o acesso à cultura. Todos os anos temos muitos desafios na produção. O FID não tem uma sede, por exemplo, onde possa disponibilizar seu acervo. Fazemos o FID deste ano sem saber se teremos o do próximo. Lamentavelmente, essa é uma situação geral em nosso país, afirma Carla.
Dentro desta compreensão, o espetáculo que abre o FID 2012 é Piracema, de Lia Rodrigues Cia de Danças (RJ), que será apresentado nos dias 26 e 27 de outubro, às 21h, no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna. Adriana Banana comenta que essa obra traz vida para quem assiste. Para mim é o trabalho mais forte da Lia Rodrigues. Ele é uma afirmação contudente da vida, pois ele leva ao pé da letra o significado da piracema: resistir contra a correnteza para existir, posicionamento que está no corpo dos dançarinos e no corpo-obra, descreve.
Nestes 16 anos o FID possibilitou ao público conhecer e acompanhar o pensamento e a trajetória de alguns artistas. Meg Stuart (EUA/Bélgica) e Emmanuelle Huynh (França), por exemplo, retornam ao Fórum Internacional de Dança. Para a Adriana Banana isso é um diferencial para o público que acompanha o evento, uma vez que oferece uma compreensão mais aprofundada das propostas artísticas e de suas trajetórias.
Outro ponto levantado pelas diretoras é que as duas companhias já estiveram em outras edições do FID, não só com espetáculos, mas com residências com artistas mineiros e brasileiros. Os trabalhos de Emmanuelle Huynh / Centre National de Danse Contemporaine Angers (França) que serão apresentados no FID 2012 levantam questões importantes como o conceito de comunidade, presente no espetáculo Cribles Live, que o público poderá conferir em 4 de novembro, às 20h, no Grande Teatro Sesc Palladium. Banana destaca ainda a Persephassa de lannis Xenakis, importante peça musical do século XX que será tocada ao vivo durante o espetáculo, pelo Grupo de Percussão da UFMG. Também de Emmanuelle Huynh – Múa volta a cena do FID , nos dias 30 e 31 de outubro, 20h, na Funarte MG. O espetáculo, apresentado em BH no FID 2007, entra na programação 2012 em função do sucesso e da importância da obra, explicam as diretoras do Fórum.
Já Meg Stuart (EUA/Bélgica) também esteve no FID em outra edição, como conta Adriana Banana: Em 1997 Meg se apresentou no Brasil pela primeira vez, com a participação do videoartista Gary Hilll. Este trabalho impactou o público pela sua radicalidade, estranhamento e sua afeição. No FID 2012, Meg apresenta dois trabalhos: Violet, com Damaged Goods (Bélgica), em 31 de outubro, às 21h, no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna; e The Fault Lines com Philipp Gehmacher, Vladimir Miller, Meg Stuart / Damaged Goods (Bélgica) & Mumbling Fish (Áustria), nos dias 1º e 2 de novembro, em duas sessões, um às 19h e outras às 22h, no Espaço Cultural Ambiente.
Outro vetereno do FID é Cristian Duarte (SP) que já participou de outras três edições: em 2000 com Pressa, em 2002 com Document 3 com a Cie De Brune/Lynda Gaudreau e em 2007 com Sou brasileiro e não desisto nunca, Médelei. Adriana Banana enfatiza que o artista volta ao FID 2012 depois de ter estudado na escola belga P.A.R.T.S. com Anne Teresa De Keersmaeker e já ter rodado bastante, pelo mundo, com este espetáculo. The Hot One Hundred Choreographers, (em 2011, recebeu o prêmio de melhor criação em dança pela Associação Paulista dos Críticos de Arte APCA). Eu o considero um dos melhores dançarinos brasileiros, seu corpo parece uma esponja e seu cérebro parece que teve uma sobrecarga de eletricidade, explica Banana. No FID 2012 o público poderá conferir este trabalho nos dias 3 e 4 de novembro, às 19h, na Funarte MG.
Em seu 16º ano, o FID 2012 continua sua política de congregar grupos já consagrados com jovens artistas. A Entretantas Conexão em Dança (PR) apresenta o espetáculo Swingnificado, dia 2, às 20h, e 4 de novembro, às 18h, na Funarte MG. O trabalho também poderá ser visto em Nova Lima, no Teatro Municipal da cidade, no dia 3 de novembro, às 21h. Este é um grupo que tem uma existência recente de formação em dança, inclusive, acadêmica. A performance é um espetáculo divertido, inclusive, com uma dinâmica interativa com o público comenta Banana.
O FID 2012 terá ainda três estreias mineiras, todas participantes do programa FID Território Minas. Quadronegro da Companhia Suspensa (BH/Nova Lima), que tem coprodrução do FID 2012, será apresentado nos dias 2 e 3, às 21h, e 4 de novembro, às 17h, no Teatro Marília. Solo(s) de Izabel Stewart e Tana Guimarães (BH), acontece em 27 e 28 de outubro, às 19h, na Funarte MG. Dia 29, às 20h e 30 de outubro, às 21h, no Teatro Marília, a Quik Cia de Dança apresenta de nós dois. só. Este espetáculo também será apresentado no Quik Espaço Cultural, nos dias 1º e 2 de novembro, às 21h. Com o objetivo de dar suporte às estas companhias em seu processo construtivo o FID trouxe, durante três meses para Belo Horizonte, desde agosto, a dramaturgista, eutonista e também professora e coordenadora do curso de Comunicação das Artes do Corpo da PUC-SP, Rosa Hercoles que atua como uma espécie de interlocutora artística dos Grupos.
Ainda dentro do programa FID Território Minas, Cris Oliveira (BH), que participou, entre 2001 e 2009, da Cia. de Dança Palácio das Artes, apresenta Espaço para Dança, às 21h do dia 26 de outubro na Praça da Matriz, em frente ao Teatro Municipal Manoel Franzen de Lima Nova Lima. O espetáculo parte do entendimento de que a obra é feita em conjunto com o público, desta forma, todos podem ajudar nas escolhas do figurino, música e até propor à performer uma ideia ou contexto para o improviso na dança.
FIDinho____________________________________________________________
Desde 2008, o FID tem em sua programação apresentações dedicadas especialmente para as crianças. Carla Lobo conta que o público do FIDinho aumenta a cada ano juntamente com o público adulto e juvenil que acompanha as crianças. No FID 2012, dois espetáculos fazem parte do programa: o primeiro Têtes à Têtes, de Maria Clara Villa Lobos / XL Productions
(Bélgica/Brasil), apresentado dias 3 e 4 de novembro, às 16h, no Teatro Oi Futuro Klauss Vianna. Esta peça já chama atenção pelos dois dançarinos com cabeças enormes. Além disso, o público terá a sensação de estar mergulhando dentro de um desenho animado, onde as imagens projetadas sobre o palco ajudam, e muito, a criar esse ambiente encantado. É como se todos fizessem uma viagem ao corpo humano, de seu nascimento a vida adulta, explica Adriana Banana. O segundo é Kodak, de Neto Machado (PR/BA), que acontece em 27 e 28 de outubro, às 16h, no Espaço Cultural Ambiente. O espetáculo é uma dança em frames, como fotografias juntadas, uma peça que traz referências de uma era digital com videogames, desenhos em quadrinhos, mangás, filmes da década de 80 como o King Kong, entre outras.
FIDoteca___________________________________________________________
O FID 2012 traz, novamente, sua tradicional FIDoteca, espaço que disponibiliza o acervo em vídeo de todas as edições do evento, para quem quer rever ou não teve a oportunidade de assistir aos espetáculos. A FIDoteca deste ano será instalada no Acervo Artístico e Literário do Sesc Palladium, com acesso gratuito, entre os dias 19 de outubro a 4 de novembro. Ás terças e quartas-feiras a FIDoteca funcionará das 10h às 20h. Quintas e sextas-feiras das 10h às 21h. Aos sábados das 10h às 18h e nos feriados das 12h às 18h.
Ingressos__________________________________________________________
Por seu modelo de inserção, o FID Fórum Internacional de Dança tem como prática oferecer ingressos a preços simbolicos, algumas vezes menores que os valores de ingressos populares. Como explica Carla Lobo, diretora executiva do FID, o valor reduzido do ingresso faz parte da política do nosso relacionamento com o público, e deixa claro, na forma de um ingresso acessível, que seu custo real já foi pago com recurso público por meio de patrocínios via leis de incentivo e convênio entre Funarte / Governo Federal e Prefeitura de Nova Lima. Por isso, os ingressos para os espetáculos do FID 2012 custarão R$ 4,00 (inteira) e R$ 2,00 (meia entrada). As atividades do FID Circulando Grande BH e outras ações como a FIDoteca tem acesso livre e gratuito.
SERVIÇO__________________________________________________________
FID FÓRUM INTERNACIONAL DE DANÇA
PROGRAMAS: FID CIRCULANDO GRANDE BH, FID TERRITÓRIO MINAS, FID CONEXÃO INTERNACIONAL E FIDINHO
Período: 26 de outubro a 4 de novembro de 2012 (O FID Circulando Grande BH será realizado entre os dias 5 e 14 de novembro)
Locais: Em Belo Horizonte: Teatro Oi Futuro Klauss Vianna, Teatro Marília, Funarte, Espaço Cultural Ambiente, Quik Espaço Cultural e Grande Teatro Sesc Palladium. Em Nova Lima: Praça da Matriz e Teatro Municipal Manoel Franzen de Lima.
Ingressos: R$ 4,00 inteira e R$ 2,00 meia-entrada.
Informações: (31) 3225-5070, info@fid.com.br, www.facebook.com/FIDBrasil, www.twitter.com/FIDanca_, www.fid.com.br
Apresentador: Governo do Estado de Minas Gerais e Petrobras
Patrocinador: Oi
Apoios culturais: Funarte, Prefeitura de Nova Lima, TV Globo Minas, Caixa Econômica Federal, Cemig/Governo do Estado de Minas Gerais e Oi Futuro
Realização: Atômica Artes e Tapioca Cultura
Incentivo: Lei Estadual de Incentivo à Cultura de Minas Gerais
Fonte: fid.com.br

Americanas.com

Postagens mais visitadas deste blog

@Binoculocultura

@Binoculocultura
Notícias para seus projetos!

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *