Bárbaros Digitais ☠️🏴‍☠️


    Titã Atlas - Um castigo Divino.


Na minha jornada na Web aprendi tantas coisas. Acredito que a internet dos anos 1990, quando comprei meu primeiro PC, foi a idealização de todos os nossos sonhos inimagináveis. Parece mágico o ato de clicar e realizar!


Os próximos passos foram os aplicativos de comunicação instantânea. A rapidez com que encontrávamos nossos amigos. Uma novidade do contato virtual. Uma conversa no ICQ, no MSN, ou sexo nas salas de Bate-papo. Os trabalhos escolares feitos no CTRL+C, CTRL+V.


Eu fiz dezenas de trabalhos acadêmicos para pagar contas no período da Faculdade. Comecei como digitadora de textos para empresas e estudantes. Naquela época, eu me sentia “a secretária” de todos. Mas foi muito tempo de teclado e esforço para então começar a ter lesão por esforço repetitivo e estresse de universitária.


Graças a medidas rápidas de mudança no percurso, troquei de Faculdade e de trabalho. Reduzi o tempo do teclado e fui ler na Biblioteca. Trabalhar em biblioteca acadêmica é um deleite para quem ama pesquisa. Por sorte, arranjei um emprego assim na época da Faculdade.


Enfim, a ideia não é contar mais da minha própria história. Apesar de saber que a audiência adora saber dos bastidores e que a Economia da Atenção é voltada para a especulação das intimidades.


Não, não. Detesto insuflar os stalkers… 

Onde quero chegar com este texto, na realidade, é trazer a percepção de nossa jornada pelas experiências com a web. O que nos tornamos. O que poderemos fazer depois de algumas melhorias essenciais.


O momento dos “conflitos datacêntricos” (Pierre Lévy, 2021) - começou para muitos dos ativistas digitais (hoje chamados de Influencers) - a partir da atuação do Facebook nas campanhas eleitorais dos Estados Unidos e depois em outros países, incluindo o Brasil. 


Na minha linha do tempo, o ano em que esses conflitos começam é 2013! 


Entre 2013 e 2016 fui hackeada das maneiras mais sórdidas que se pode imaginar. Furto de aparelho celular, clonagem de chip de dados, furto de contas de perfis online, sincronização de login adulterada, geolocalização adulterada, dinheiro sumindo nas contas de trabalho e seguidores desaparecendo. Amigos indo embora sem explicação. Ah, sim, claro! Telefonemas estranhos, ligações de pessoas estranhas fazendo perguntas sem sentido , ou apenas desligando após atender a chamada!


Ainda nem contei que trabalhei por três anos numa empresa pública ligada ao setor de telecomunicações. Então, entre 2008 e 2010 perdi toda a inocência digital que um ser humano pode ter. A área de TELECOM é o coração das novas tecnologias com as quais lidamos. E, na verdade, não sei porquê cargas d'água o Brasil deu de bandeja para outros países administrarem a nossa Telecom estratégica.


Mais uma vez, quero enfatizar que o objetivo deste texto é explicar a balbúrdia digital que estamos vivendo. As pessoas estão cancelando, matando, perseguindo e processando judicialmente por interesse em ativos digitais de terceiros! Esses ativos são responsáveis ​​por gerar retorno financeiro em transações de comunicação na web!


Quem se antecipou, já fez uma bagunça nas Redes Sociais! Mudaram o padrão de vida das pessoas só para não permitir que elas tirassem retorno financeiro dos negócios online! Criaram empresas-monstro de Marketing Digital e Publicidade online para controle e domínio do mercado.


E, para atingir esse resultado, houve barbárie no ambiente digital… houve morte na vida real e houve uma grande cisão entre Esquerda e Direita na Política Mundial.


Somos produto do meio, no entanto, o ambiente digital foi moldado ao reflexo complexo de nossa vida analógica. Esse retrocesso causou uma anomalia no ambiente digital e, principalmente, nas Redes Sociais. Hoje elas não servem ao público, servem à Gestão Pública de cada país. Controle Social e investigação da vida de pessoas comuns e celebridades também.


Pessoas foram reduzidas no ambiente digital para enxertarem na rede de promissoras “celebridades” entrantes. O lixo da condução de mentes, o erro da fabricação de memórias. A mesma merda do pós segunda guerra mundial. Alimentar falsas esperanças.


Essa barbárie teve um preço alto. Ela se refletiu em nossas vidas fora da web. Ficamos frágeis e agressivos. Perdemos o brilho da imaginação criativa e matamos nossa inocência digital. Foi a primeira infância nas nossas vidas com a web!


A pandemia mundial de COVID-19 foi um grande teste e mostrou que “falta ar” para nossas aspirações pela liberdade de expressão digital. 


A necessidade da comunicação e da colaboração nos fez sobreviver, porém, nos falta um certo polimento de “Mestre Paciente” em nossas relações com nós mesmos e com o meio ambiente. Ninguém vai dizer que os humanos fizeram um vírus em laboratório para testar as TIC's em todo o planeta! Loucura!


A China, os Estudos Unidos, a Rússia, o Reino Unido, o Japão, a França? Quem manda no mundo agora? Qual religião é melhor? 


Ainda usamos o “mindset” dos anos 1945. Guerra! Ocupação e Dominação.

Precisamos mesmo disso!?


Babyboomers morrendo e Geração X envelhecendo. 


Daqui para frente a dicotomia será nossa parceira. Não viveremos sem dúvidas e sem grandes riscos. 


Sem fim… mas necessariamente com muita Filosofia! Isso, se os cérebros nos sacos de carne aguentarem! 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Como Sites Hub melhoram seu tráfego

Outras fontes!

Folha de S.Paulo - Ilustrada - Principal

CNN Brasil

InfoMoney

Contato

Contato
Clic e faça contato!