e

As notícias de uma paralisia cultural

Atualizado: há 3 dias

As formas de sobrevivência da produção cultural em um "novo normal" já foram todas postas à vista do público.




Antes, as Lives que eram para arrecadação de recursos para os "necessitados" , diga-se de passagem que todos foram colocados nesta condição com a pandemia, agora são Lives Pagas como ingressos para shows privados.


Ainda tem as Lives de E-commerce nas quais artistas fazem a alegria de platéias interessadas em música e em compras.


Olhando este panorama e pensando nos lucros/arrecadação vindos dessas ações, pode-se dizer que a produção cultural alcançou mais rapidamente um novo nicho de mercado devido as pressões do isolamento social tão necessário para evitar a contagiosa COVID-19.


Mas a paralisia no setor cultural foi mesmo por parte da gestão pública que, de certa forma esteve envolvida nos dilemas de disputas políticas.


Temos uma lei de auxílio emergencial chamada Lei Aldir Blanc que pretende sanar o problema econômico dos profissionais no mercado cultural . Porém, a lentidão nos processos de decisão tornam tudo muito "sofrido"... como se as urgências fossem só um mero termo de nomenclatura.


A Lei Rouanet parece estar sofrendo um golpe de "identidade", vai perdendo a função para a qual foi criada e vai caindo num esvaziamento burocrático.


O cinema brasileiro assim como a cinemateca de São Paulo entram numa relação de combate com o governo federal. Isso é péssimo pois a única coisa que poderia estar gerando recursos e conteúdo para TV Paga /Internet/Streaming seria o cinema produzido aqui com nosso selo de qualidade e linguagem únicas.


Sonhando com uma solução vinda da vacina, a gente fica paralisado diante dos senões da eficiência de anti-corpos e de RNA's para nos blindar contra o vírus. Mas somos informados parcialmente sobre todos os detalhes médicos e ainda perdemos tempo esperando aval de terceiros para crer na eficácia da vacinação.


Belos babacas somos nós!


A máscara terá que ser usada para sempre, mesmo com a vacina. Isso ninguém explica!

E agora, nosso Fevereiro sem Carnaval! Isso mesmo, pois o vírus é mutante e tem sido transmitido numa velocidade absurda. A data de Carnaval virou ponto facultativo.


Nada de blocos nas ruas mas eu aposto no bloco dos YouTubers, com certeza vai ter muito show e muita festa diante das nossas telas e em casa!

33 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

APSA CAPTAÇÃO E PROMOÇÃO DE VENDAS - Belo Horizonte/MG - Brasil |CNPJ 33.670.425/0001-67 | +55 (31) 3418-1729 | Atendimento Online no WhatsApp (31) 98487-2880